This Is Not About Love



« theme por » gabriela/queridasolidão
''The worst is over now. "

'“Isso não é amor, isso é vício. Se todo dia você toma um choque na tomada de casa, vai acabar achando que precisa disso pra viver. Mude seu foco!” — Tati Bernardi já estiveram aqui e me visitando nesse momento.

»

E se de repente você pudesse ser feliz? 

(via coisasdamarci)


5 months ago · 275 notes · originally from coisasdamarci

Parece mentira quando as pessoas dizem que o amor não dói.  Mais mentira ainda é pensar que tudo que senti por você não foi amor. Eu jamais senti aquilo por ninguém, todas as reações que sua existência causa a minha  mente e alma, jamais foram descritas em poema de algum.  Fiz-me escrava do teu amor, onde meu ganho foi à dor inestimável de um querer jamais correspondido. Fiz dos teus olhos a luz, do seu riso meu riso.  Abdiquei da minha calmaria para viver na sua tempestade. Morri dezenas de vezes prematuramente quando lhe vi partir. Não disse adeus. Eu nunca lhe disse adeus!  Pois de nada me adiantaria… Minha alma é sua! Assim com as raízes de uma arvore que ramificam na terra, Lhe pertenço como a chuva se faz das nuvens e as estrelas do céu. Lhe pertenço como promessas que foram feitas e esperam para se realizar. Assim sou! Mais sua que minha… mais sua do que de qualquer outro alguém.

- Karol Arc

Parece mentira quando as pessoas dizem que o amor não dói.
Mais mentira ainda é pensar que tudo que senti por você não foi amor.
Eu jamais senti aquilo por ninguém, todas as reações que sua existência causa a minha
mente e alma, jamais foram descritas em poema de algum.
Fiz-me escrava do teu amor, onde meu ganho foi à dor inestimável de um querer jamais correspondido.
Fiz dos teus olhos a luz, do seu riso meu riso.
Abdiquei da minha calmaria para viver na sua tempestade.
Morri dezenas de vezes prematuramente quando lhe vi partir.
Não disse adeus. Eu nunca lhe disse adeus!
Pois de nada me adiantaria…
Minha alma é sua!
Assim com as raízes de uma arvore que ramificam na terra,
Lhe pertenço como a chuva se faz das nuvens e as estrelas do céu.
Lhe pertenço como promessas que foram feitas e esperam para se realizar.
Assim sou! Mais sua que minha… mais sua do que de qualquer outro alguém.

- Karol Arc



(Source: prefaciodoepitafio, via saposdeouro)


5 months ago · 786 notes · originally from prefaciodoepitafio

(via my-memorie-s)


5 months ago · 27,256 notes · originally from eunemteamo

Não quero pensar, não quero fazer planos, não quero criar expectativas. Quero apenas que os dias passem.
~ William Shakespeare.  (via renovada)

(Source: renascedor, via renovada)


6 months ago · 24,636 notes · originally from renascedor

(Source: jackielollifries, via vida-de-lesbica)


6 months ago · 4,133 notes · originally from jackielollifries

my-memorie-s:

my-memorie-s:

(Source: tributetoleamichele)


6 months ago · 17 notes · originally from tributetoleamichele

(Source: quemalemdevocee, via triangl3s-are-cool)


6 months ago · 18,708 notes · originally from quemalemdevocee

(Source: anabgessinger, via thedawnwillbreak)


6 months ago · 232 notes · originally from anabgessinger

(Source: lesbian-and-lovee, via i-heart-yoou-too)


6 months ago · 495 notes · originally from lesbian-and-lovee

(via desalentou)


6 months ago · 44,501 notes · originally from desalentou

Dianna Agron for NYLON Guys

(Source: quinnsams, via gleeks)


6 months ago · 2,601 notes · originally from quinnfabrays

fireonsex:

 

fireonsex:

 

(via vivantss)


6 months ago · 6,665 notes · originally from vivantss

Carta ao namorado da minha ex.
Você sabe que não deve fazer cócegas nelas porque a machucam? Sabe a diferença dos seus sorrisos sarcásticos e felizes? Sabe que não deve opinar sobre sua família, nem falar mal dos seus antigos namorados? Só de mim, eu sei. Creio que você não tem ideia do que é dormir com ela. Dormir, não foder. Foder, também. Mas dormir. Dormir e acordar ao lado dela. A vida dela é torta. Não se esqueça disso. Ela sempre acorda com sono, mas, quase duas da madrugada, fica se remexendo na cama caçando o tal sono que perdeu pela manhã.Pra ela, tudo tem nome de “coisa”. O controle remoto é uma “coisa”. A bolsa é uma “coisa”. O talher é uma “coisa”. Até o cachorro é uma “coisa”. Certa vez, ela disse mô-tô-sentindo-uma-coisa-estranha. Pra mim, era um mau pressentimento. Ou fome. Ou cólica. Sei lá. Era amor. Amor-coisado, ela disse. Ela me amava, cara. Ela é toda sinais. Corta o cabelo quando quer mudar de vida. Mais de cinco centímetros é porque ela quer revolucionar o mundo. Cuidado nesses momentos. As cores das unhas e das lingeries determinam sua libido. Quando põe batom, pensa em beijar. Brilhos nos lábios, também. Saiba disso, cara. Mas ela, também, sabe fingir. Vai fingir não se importar, ser forte, ser sabida ou esperta. Vai fingir até que não precisa de você, mesmo quando ela estiver com trinta e nova de febre e batendo recordes de espirros por segundo. Não ligue. É porque ela não quer que você a encontre com o nariz todo vermelho, tossindo feio e com a garganta inflamada. Mesmo sem ela deixar, vá visita-la e cuide dela. Por mim e por você. Ela fuma quando fica brava ou quando bebe. Bebe quando quer, sem ocasiões especiais. Certo dia, acordou num domingo bebendo vodca no café da manhã. Mas ela sabe aproveitar um belo achocolatado, também. Vai parecer durona, vez em quando. Mas é menininha, vai por mim. Faça carinho na bochecha. Ela não irá resistir. Ela não se importará em dividir a conta. Caso você proponha pagar tudo, ela não deixará, mas mesmo assim ficará feliz com a tua atitude. E com um tempo, ela irá pagar a conta, também. Muito provavelmente, em alguma quarta-feira qualquer, irá te ligar no meio do expediente só para te passar uma notícia boa e vai dizer quer deseja comemorar no restaurante predileto dela: o japonês na esquina de sua casa. Vai se impressionar com um tanto que ela consegue comer por segundo. Ela gosta de molho teriaki e de sashimi. E não sei se já aprendeu a comer com hashi. Acho que não. Ofereça ajuda. Ela é tão homem quanto todos os homens. Gosta de coxas, bunda, barriga e virilhas. Quando vai à praia, costuma reparar no volume das sungas alheias e comentar com amigas. Mas ela se apaixona mesmo é por bocas. Lábios, sorrisos, mordiscadas e palavras. Quase sempre, apaixona-se por homens de humanas. Adora ouvir sobre psicologia, política, literatura e cultura pop. Mas não fale feito um tolo. Saiba ouvir, também. Caso você ainda não esteja apaixonado por ela, vai ficar encantado quando ela começar a falar suas poesias, Rimbaud, Manoel de Barros e sobre sua vontade de se entender. Ela vive num eterno questionamento sobre si. Faz besteiras e logo se arrepende. Mas acredita que todo erro existe para o aprendizado. Não a julgue por isso. Nem tente entendê-la. Por fim, apenas entenda e aprenda que sem ela, você será como eu: um prisioneiro eterno das lembranças.
~ Hugo Rodrigues.   (via ancorar-te)

(Source: sou-inseguro, via ancorar-te)


7 months ago · 2,721 notes · originally from sou-inseguro

Carta ao namorado da minha ex.
Você sabe que não deve fazer cócegas nelas porque a machucam? Sabe a diferença dos seus sorrisos sarcásticos e felizes? Sabe que não deve opinar sobre sua família, nem falar mal dos seus antigos namorados? Só de mim, eu sei. Creio que você não tem ideia do que é dormir com ela. Dormir, não foder. Foder, também. Mas dormir. Dormir e acordar ao lado dela. A vida dela é torta. Não se esqueça disso. Ela sempre acorda com sono, mas, quase duas da madrugada, fica se remexendo na cama caçando o tal sono que perdeu pela manhã.Pra ela, tudo tem nome de “coisa”. O controle remoto é uma “coisa”. A bolsa é uma “coisa”. O talher é uma “coisa”. Até o cachorro é uma “coisa”. Certa vez, ela disse mô-tô-sentindo-uma-coisa-estranha. Pra mim, era um mau pressentimento. Ou fome. Ou cólica. Sei lá. Era amor. Amor-coisado, ela disse. Ela me amava, cara. Ela é toda sinais. Corta o cabelo quando quer mudar de vida. Mais de cinco centímetros é porque ela quer revolucionar o mundo. Cuidado nesses momentos. As cores das unhas e das lingeries determinam sua libido. Quando põe batom, pensa em beijar. Brilhos nos lábios, também. Saiba disso, cara. Mas ela, também, sabe fingir. Vai fingir não se importar, ser forte, ser sabida ou esperta. Vai fingir até que não precisa de você, mesmo quando ela estiver com trinta e nova de febre e batendo recordes de espirros por segundo. Não ligue. É porque ela não quer que você a encontre com o nariz todo vermelho, tossindo feio e com a garganta inflamada. Mesmo sem ela deixar, vá visita-la e cuide dela. Por mim e por você. Ela fuma quando fica brava ou quando bebe. Bebe quando quer, sem ocasiões especiais. Certo dia, acordou num domingo bebendo vodca no café da manhã. Mas ela sabe aproveitar um belo achocolatado, também. Vai parecer durona, vez em quando. Mas é menininha, vai por mim. Faça carinho na bochecha. Ela não irá resistir. Ela não se importará em dividir a conta. Caso você proponha pagar tudo, ela não deixará, mas mesmo assim ficará feliz com a tua atitude. E com um tempo, ela irá pagar a conta, também. Muito provavelmente, em alguma quarta-feira qualquer, irá te ligar no meio do expediente só para te passar uma notícia boa e vai dizer quer deseja comemorar no restaurante predileto dela: o japonês na esquina de sua casa. Vai se impressionar com um tanto que ela consegue comer por segundo. Ela gosta de molho teriaki e de sashimi. E não sei se já aprendeu a comer com hashi. Acho que não. Ofereça ajuda. Ela é tão homem quanto todos os homens. Gosta de coxas, bunda, barriga e virilhas. Quando vai à praia, costuma reparar no volume das sungas alheias e comentar com amigas. Mas ela se apaixona mesmo é por bocas. Lábios, sorrisos, mordiscadas e palavras. Quase sempre, apaixona-se por homens de humanas. Adora ouvir sobre psicologia, política, literatura e cultura pop. Mas não fale feito um tolo. Saiba ouvir, também. Caso você ainda não esteja apaixonado por ela, vai ficar encantado quando ela começar a falar suas poesias, Rimbaud, Manoel de Barros e sobre sua vontade de se entender. Ela vive num eterno questionamento sobre si. Faz besteiras e logo se arrepende. Mas acredita que todo erro existe para o aprendizado. Não a julgue por isso. Nem tente entendê-la. Por fim, apenas entenda e aprenda que sem ela, você será como eu: um prisioneiro eterno das lembranças.
~ Hugo Rodrigues.   (via ancorar-te)

(Source: sou-inseguro, via ancorar-te)


7 months ago · 2,721 notes · originally from sou-inseguro